Valores Fundamentais

Nossos 3 Pilares

Visão de Deus

A maneira como vemos Deus determina a maneira como iremos representá-lo. Por isso, focamos constantemente no desenvolvimento de uma visão mais saudável, fresca e nova de Deus e de Sua natureza de maneira que venha condizer com a verdade de que Ele sempre é bom e de que Ele é um Pai que ama e aceita incondicionalmente.

Visão de Si Mesmo

Consideramos de suma importância descobrir mais sobre si mesmo e sobre sua verdadeira identidade celestial para que você possa aprender a viver na convicção de quem você é em Cristo, desfrutando de tudo aquilo que essa posição lhe traz. A maneira como você se relaciona consigo mesmo determina a maneira como você se relaciona com o outro.

Visão de Mundo

Precisamos saber interagir com o mundo de maneira apropriada e olhar para as pessoas que nele estão por uma perspectiva correta e através de 'lentes não-danificadas', para que assim possamos trazer transformação ao mundo por meio de nosso chamado, dons, paixão e esfera de influência.

Valores Fundamentais

Procuramos dar ênfase a estes valores na Comunidade do Reino. Eles são bem compreendidos dentro do contexto da nossa Declaração de Fé. Valores inerentes e comuns à fé cristã como o amor, a salvação, a pureza, a obediência e a fé são tido como já aceitos e assumidos e, portanto, não são tratados em pormenor aqui nesta lista de valores.

Apesar de honrar e apreciar os valores fundamentais de outros no Corpo de Cristo, estes valores expressos aqui são a ênfase que Deus tem dado à nós do Ministério Comunidade do Reino para fazer avançar o Reino de Deus.

DEUS É BOMSALVAÇÃO CRIA IDENTIDADERESPONSIVOS À GRAÇAFOCADOS NA PRESENÇACRIANDO FAMÍLIAS SAUDÁVEISA PALAVRA DE DEUS TRANSFORMADEUS CONTINUA FALANDOMINISTÉRIO SOBRENATURALO REINO DE DEUS ESTÁ AVANÇANDOLIVRE E RESPONSÁVELHONRA AFIRMA VALORESPERANÇA EM UMA IGREJA GLORIOSA

DEUS É BOM

Jesus revela o amor e as prioridades do Pai no Seu ministério e sacrifício. Ele é a perfeita teologia. (Hebreus 1:2-3; Colossenses 1:19; João 1:1,18, 3:16-17, 14:6-7, 8:1-11,19)

O inimigo vem para roubar e matar, mas Jesus veio para destruir as obras demoníacas e nos dar vida em abundância. (João 10:9-11; 1 João 3:8; Mateus 9:11-13)

Deus descreve a Si mesmo como gracioso e compassivo, tardio em irar-se e abundante em amor. Deus é bom e, por natureza, está de bom humor. (Salmo 103:8-14; Números 14:18; Sofonias 3:17; Gálatas 5:22-23; Mateus 7:11; Êxodo 34:5-7)

Deus é bom, independentemente de nossas circunstâncias. (Naum 1:7; Romanos 5:8, 8:28-32; Tiago 1:17)

Deus é generoso. À medida que nós relembramos e contamos novamente o que Ele tem feito em testemunhos, Ele é capaz e deseja fazer outra vez o que foi testemunhado.

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Deus é por nós. Ele escolheu nos redimir de nossos pecados. (Salmo 139:7; Romanos 5:8, 8:30-32; 2 Coríntios 5:19)

Deus não está zangado e furioso conosco. (Hebreus 1:9; João 10:10; Romanos 14:17-18; Salmo 30:11-12; Sofonias 3:17; Isaías 61:3)

O desejo de Deus é nos prosperar em cada área de nossas vidas: fisicamente, mentalmente, espiritualmente, emocionalmente e vocacionalmente. (Isaías 26:3; João 10:10; Lucas 9:6, 56; Romanos 5:8, 8:1; 3 João 1:2; Gênesis 12:1-3; Jeremias 29:11)

Deus não causa doenças e enfermidades para “ensinar lições” às pessoas ou puní-las. Jesus é o nosso modelo de Nova Aliança e o que observamos é que Ele curou todas as pessoas doentes que Ele encontrou. (Mateus 4:23, 8:2-3; Atos 10:38)

Nós vivemos a partir da premissa que Deus quer salvar e curar a todos. (2 Pedro 3:9; Efésios 1: 4-6; Romanos 1:18-21; Mateus 4:23-24, 8:1-3, 8:16-17, 9:35, 14:34-36; Marcos 6:56; Lucas 9:11; Atos 10:38; 1 João 3:8)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… Deus sempre abençoará as nossas decisões ou que podemos fazer o que quisermos e que Deus nunca nos julgará. (Provérbios 8:13; Hebreus 10:26; 2 Timóteo 2:19; 2 Coríntios 5:10; Hebreus 9:27; Gálatas 5:13-24)

… Deus não se machuca com as nossas decisões e que Ele nunca irá nos confrontar em nosso pecado. (Efésios 4:30; 1 Tessalonicenses 5:19; Mateus 15:13; João 15:2)

… todos entrarão no Reino dos céus, de qualquer forma. (Mateus 7:21-23; Lucas 13:27)

… se nós não formos curados é porque Deus não nos ama ou porque temos falta de fé. (Mateus 4:23; Mateus 12:15; João 9:1-3; João 11:4; Atos 10:38)

… Deus coloca doenças e enfermidades nas pessoas para “ensiná-las uma lição” ou puní-las. (Mateus 8:2-3; Atos 10:38)

… nossas vidas serão sempre fáceis e que nunca teremos provações. (João 16:33; Filipenses 3:10; Romanos 8:31-39; Salmo 34:19; Tiago 1:2-4)

… nós não temos que crescer em nosso relacionamento com Deus ou que não precisamos exercer mordomia e desenvolver os nossos dons. (2 Timóteo 1:6; Marcos 4:25; Filipenses 3:14; Mateus 6:33; Tiago 4:8)

… as nossas orações serão sempre respondidas da maneira como nós esperamos. (Lucas 18:1-8; 1 Tessalonicenses 5:17)

SALVAÇÃO CRIA IDENTIDADE

Jesus ganhou a vitória absoluta! Nós somos perdoados e libertos do poder do pecado do inimigo, das doenças, das enfermidades, das mentiras e dos tormentos, então agora nós operamos no poder da justiça, da cura, da verdade e da alegria! (Rm 6:4; Rm 8:1-4; Rm 8:14-16; 2 Co 5:17; Gl 2:20)

Somos adotados como membros da realeza na família de Deus e ordenados a ajudar outros a se reconciliarem com Deus e voltar para "casa". (Jo 1:12; Rm 8:14-16; 2 Co 5:18-21)

Nós somos, simultaneamente, servos, filhos e amigos de confiança do nosso Senhor. (Mt 23:10-12; Jo 15:15; Jo 1:12)

Nós somos novas criações, não meramente "pecadores salvos pela graça", mas santos que receberam a justiça de Deus. (2 Co 5:17; 2 Co 5:21; Rm 1:17; Rm 3:28; Rm 8:29-30)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Nós somos santos, não pecadores e nós somos santificados. Nós não vivemos mais sob vergonha ou condenação. (Rm 8:1-4; Rm 8:34; 1 Co 1:30; Gl 2:20; Rm 3:24; 1 Jo 4:17; Rm 8:29-30)

Liberdade, bênção e vida em abundância estão disponíveis para nós AGORA. (Jo 10:10; Mt 6:33; Mc 10:29-30; Pv 3:9-10; 1 Jo 4:18; 2 Tm 1:7; Fp 4:8)

Deus não se lembra de nossos pecados ou os usa contra nós. Nós não somos quem o nosso passado diz que somos. (Rm 8:1-2; Hb 9:26; Sl 103:12; Mq. 7:19; 1 Jo 1:9; At 3:19; Rm 6:4; 2 Co 5:17; Gl 3:13-14)

Foi-nos dado autoridade e acesso aos recursos de Deus para o bem do mundo. (2 Co 5:17; Ef 1:5-14; Mt 28:18-19)

Nós fomos transportados para dentro de um outro Reino e nós vivemos a partir do Céu para a Terra. (Ef 2:5-7; 1 Jo 4:17; Cl 1:13; Cl 3:2; Sl 121:1-2)

Nossa nova norma é ter fome e sede para que a justiça de Deus seja revelada na Terra. (Sl 1:1, Mt 5:6, 2 Co 5:17)

Deus tem nos dado alegria maior do que qualquer circunstância que possamos enfrentar. (Is 54:1; Ne 8:10; Hb 12:2)

Nós renovamos nossas mentes continuamente com Deus acreditando e declarando Suas promessas. Nós recebemos “graça” em nossas vidas através de “impartições” ou do compartilhar de outros crentes em Jesus. (Rm 12:2; 2 Co 1:20; Jl 3:10; Mt 10:41; At 13:3; 1 Tm 4:14; 2 Tm 1:6)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… nós somos tão “parte da realeza” que não podemos servir. (Mt 20:28; Mc 9:35, 10:42-45)

… não exista um processo de amadurecimento, renovação da mente, busca de Deus ou de crescimento e desenvolvimento de glória em glória. (Mt 6:32-33; Rm 12:2; Fp 3:12-14)

… “pecado não é lá grande coisa” e que não precisamos nos arrepender caso a gente peque. (Tg 5:16; 1 Jo 1:8-9; At 5:1-11; Hb 10:26-31; Lc 11:4; 1 Jo 2:1; Tg 5:16)

… podemos ter e fazer o que quisermos porque nossas ações não têm efeito algum em nosso relacionamento com Deus ou Sua vontade para este mundo. (Pv 15:9; Pv 8:13; Rm 6:1-2; 1 Co 8:9; Ef 5:15-21; Gl 5:13-25)

… nós somos Jesus. (Mt 24:4-5; Cl 2:6-12; Jo 5:21; Rm 8:10-11)

… nós não temos uma convicção gerada por Deus e que não temos consequências ou uma “bagunça para arrumar” quando nós pecamos. (2 Co 7:9-10; Rm 6:1; Lc 19:8-9)

… o nosso passado é completamente mal e ruim e que não há evidência alguma da bondade de Deus nele. (Sl 16:6; Rm 11:29; Rm 8:28)

… já alcançamos a perfeição e que não há mais lugar em nós para crescimento, desenvolvimento e amadurecimento. (Fp 3:12-15; 1 Co 13:12)

RESPONSIVOS À GRAÇA

Nós experimentamos o amor de Deus por nós que é tanto surpreendente quanto imerecido, como também Seu poder em curso para nos transformar. Seu amo e poder transformadores são inseparáveis um do outro. (Jo 3:16-17; Ef 1:4-5; Rm 5:6-11; Hb 1:1-3)

Deus ama, escandalosamente, a Sua criação “perdida” e estende graça, capacita e dota de poder os crentes para amar a Ele e aos outros em um padrão bem mais elevado do que a lei. (Rm 5:7-8; 2 Co 5:14-18; Rm 6:11-14; Mt 5.21-28)

Experimentar e vivenciar profundamente a graça é chave para superar pecado e falha. O amor do Pai nos impede de focar no pecado ou de nos esconder de vergonha se falharmos. A graça nos ensina a justiça. (Ef 3:14-21; 2 Co 3:17-18; Jo 17:21-23)

Experimentar e vivenciar a generosidade de Deus em graça quebra a mentalidade que “Não haverá o bastante” e nos move para sermos generosos com todos os nossos recursos tal como nosso Pai. (Rm 8:31-32; Mt 7:11; Jr 29:11; 2 Co 9:6-7; At 2:44-45)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Deus erradicou, ou seja, pôs um fim por completo em nossa natureza pecaminosa e a nossa velha vida está completamente morta. Nós somos livres e somos revestidos da justiça de Deus. (Mt 5:17-20; 2 Co 3:6; Fp 3:9; 1 Co 10:23-24; Rm 8:2; Gl 2:20; Rm 6:6)

Deus é sempre amoroso e apaixonado por cumprir o plano Dele em nossas vidas. (Jo 3:16; Fp 2:13; Ef 1:4; Rm 5:8, Rm 8:39; 2 Pe 3:9; 2 Tm 2:13)

Nós crescemos em maturidade espiritual quando nós permitimos que o amor e o poder de Deus nos transforme. (Ef 3:14-21; 1 Co 3:1-3; Rm 12:2; Fp 3:12)

Nós exercemos parceria com o Espírito Santo para sermos mudados e conduzidos a avanços e romperes pessoais (Tt 2:11-13; Fp 2:13; 1 Co 15:10; Ef 1:4; Ef 2:8-9; Rm 12:2)

O amor de Deus nos capacita e nos dota de poder para vivermos como Jesus em cada circunstância. (Mt 5:38-45; Rm 8:38-39; 1 Jo 4:19; Ef 3:16-19)

Deus tem nos capacitado a viver nossas vidas semelhantes a Cristo em pureza e santidade. (Mt 5:27-28; 2 Tm 1:9; 2 Co 12:9; 1 Co 10:13)

Deus tem nos dado acesso a recursos ilimitados para que possamos fazer as boas obras Dele e mudar o mundo. (Mt 28:18; Ef 2:6; 1 Jo 4:17; Mt 18:18; Ef 2:4-10; Ef 2:10; Jo 4:34; Rm 8:29)

A graça de Deus nos capacita e nos dota de poder para sermos únicos, para sonhar e para criar com Ele. (Ef 3:10-11; Rm 8:19)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… já alcançamos a perfeição e que não há mais lugar em nós para crescimento, desenvolvimento e amadurecimento. (Fp 3:12-15; 1 Co 13:12)

… nós não seremos tentados com “velhos hábitos pecaminosos”. (Mc 8:34-35; Gl 5:24; 1 Co 10:13)

… nós podemos deixar o pecado permanecer em nossas vidas. (Gl 5:13; Rm 6:1-2)

… nós não temos que trabalhar duro e nos esforçar porque Deus faz tudo. (Tt 2:11-13; Rm 12:1-3; Mt 28:19; Mc 16:15; Ef 2:10; Fp 2:12; Fp 3:13-14)

… nós não precisamos escolher diariamente viver sob as normas e o governo do Céu. (Hb 10:26; Gl 5:1; Hb 6:4-6; 2 Pe 2:20-21)

… todos são salvos e que não existe inferno. (2 Co 5:10; Hb 9:27; Mt 25:31-46)

… a nossa carne ou os nossos Copos ainda são maus. (Rm 8:11; Rm 6:12-13)

… nós não devemos exercer mordomia ou administrar os recursos e dons que nós temos. (Rm 6:13; Cl 3:23-24; Mt 25:14-30)

FOCADOS NA PRESENÇA DE DEUS

Deus se deleita em nós e sempre tem o desejo de estar conosco Nós focamos na presença Dele porque temos descoberto que Ele está focado em nós. (Ef 1:4-5; Sf 3:17; Jo 6:44; Jr 31:3; Sl 65:4)

Nosso primeiro ministério é para Deus. Quando nós reconhecemos Ele, nós somos movidos a adorar com alegre paixão e a encontrá-Lo em oração, na Palavra e em comunhão durante todo o dia. (Sl 27:4; Lc 10:42; Tg 4:8; Sl 23:6; Sl 23:6; Sl 26:8; 1 Co 6:19-20, Sl 1:1-3)

Propositadamente, cultivar fome pela presença manifesta de Deus e dar abertura para as experiências do Espírito Santo aprofunda nosso relacionamento com Deus e a consciência de que carregamos a Sua presença para o bem do mundo. (Sl 73:28; Jo 1:16; Sl 107:9; Mt 5:6; Is 55:1-2; 1 Co 3:16)

Como estilo de vida, nós focamos em Deus enquanto nós ministramos e tentamos dizer o que Deus está dizendo e fazer o que Ele está fazendo. (Jo 5:19-20; 5:30; 12:49-50; 14:10; 1 Jo 4:16-17)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Deus fez de nós um lugar para o Espírito Dele habitar. (1 Co 6:19-20; 2 Tm 1:14, Cl 2:9-10)

À medida que nos achegamos a Deus, Ele se achega a nós. (Tg 4:8; Mt 5:6; Mt 6:33)

A Presença do Espírito Santo nos motiva para amar e mudar o mundo. (Mt 28:18-20; Jl 2:28)

Nós somos chamados para manter a nossa consciência completamente em Deus (face a face) e não permitir que qualquer outra coisa possa vir a estar entre Ele e nós. (Êx 20:3; Fp 4:8)

Ao contemplarmos Deus, nós somos mudados em Sua imagem. (2 Co 3:18; 2 Co 5:18-20)

Nós crescemos e nos desenvolvemos bem quando continuamos conectados a Ele. Nossa conexão com Deus nos dá a alegria e a força Dele. (Sl 13:5; Hb 1:9; Jo 15; At 17:28)

Não há separação entre secular e sagrado, porque o Reino de Deus está dentro de nós por onde quer que nós formos. (Js 1:3; Ap 11:15)

Deus preparou o caminho para nós para termos intimidade com Ele. (1 Jo 3:1; Ap 3:20)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… cristãos devem passar todo o tempo deles somente em uma “adoração privada” a Deus, ficando desconectados ou isolados totalmente do mundo real. (Hb 10:25; 1 Co 4:12; Gl 6:10; Mt 18:20)

… tudo que é sobrenatural vem de Deus. (1 Jo 4:1; At 13:6-12; At 16:16-18)

… manifestações físicas são um indicador do quão espiritualmente maduro nós somos e de que isso mostra com precisão a saúde de nossa caminhada com Jesus. (1 Co 13:1-3 & 13; Mt 7:21-23)

… nós vamos em busca das manifestações, porque se não, elas não virão até nós. (1 Co 12:4-11; 1 Co 7:7; Ef 4:7; Hb 2:4)

… a presença de Deus está apenas na igreja e não no mundo secular. (Sl 139:7-12; Mt 5:44-45; Hc 2:14; Nm 14:21)

… o Espírito Santo nos conduz a um estilo de vida focado em nós mesmo. (Mt 16:24-25; Lc 14:27; 1 Pe 2:21)

… nós só adoramos a Deus quando nós estamos sentindo de fazer isso. (Sl 42; Rm 1:20-21; Mt 22:37-38)

CRIANDO FAMÍLIAS SAUDÁVEIS

Nós somos adotados na família de Deus, portanto nós intencionalmente criamos família e comunidade aonde quer que formos. (Ef 2:19; At 2:44-47; Gl 6:10; 1 Pe 2:17; Hb 2:11)

Nós pensamos como membros de uma família saudável quando fazemos o que é melhor para todo o ambiente e nos submetemos uns aos outros não sendo egoístas. (Ef 5:21; Gl 5:13; Fp 2:3; Rm 12:9-21)

Nós propositadamente desenvolvemos nossa capacidade individual de confiar e ser alguém de confiança em relacionamentos de aliança à medida que damos poder uns aos outros e confrontamos uns aos outros para viver a partir de quem nós realmente somos. (Mt 18:15; 1 Co 4:14-21; 1 Ts 5:14)

Nós somos leais e lealdade é demonstrada mais radicalmente quando as pessoas falham. Nós não punimos ou abandonamos elas para querer manter a nossa “boa reputação” ou convencer o mundo de que odiamos o pecado, mas trabalhamos para vê-las restauradas. (Mt 18:15; Jo 8:1-11; Gl 6:1; Sl 141:5; 1 Co 4:21)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Deus Pai, Jesus e o Espírito Santo nos trouxeram para a intimidade e família Deles. A partir do amor e sabedoria de Deus, nós edificamos famílias e comunidades saudáveis (Jo 15:15-16a; At 2:44-47; Ef 3:14-21; 1 Jo 3:1)

Nós acreditamos que ninguém é criado para andar sozinho e que as pessoas se tornam mais vivas quando são plantadas ou enraizadas em uma família saudável. (At 2:1-2; At 4:23-31; Mt 18:20; Ef 3:14-20; Mt 6:9; 1 Co 12:21-27)

A maneira como nós amamos as pessoas é uma reflexão direta do nosso verdadeiro amor por Deus. Por isso, nós vivemos para fazer o mundo melhor para uma geração que talvez nunca veremos. (Pv 14:31; Mt 10:42; Fp 4:8; Mt 25:45; Hb 6:10)

Eu valorizo e sou beneficiado a partir dons do Espírito Santo e graças na vida de todos, não apenas dos meus líderes. (Rm 12:10; 1 Co 12)

Nós valorizamos e honramos uns aos outros mesmo quando discordamos. Nós não devemos fazer coisa alguma a partir de egoísmo, ambição ou ganho pessoal. (Fp 2:3-16; Rm 12:10; Rm 2:8, Ef 5:21)

Nós somos responsáveis quando outros em nossa família pecam contra nós. Nós confrontamos eles baseados em: “Você é muito legal para se comportar dessa maneira”. (2 Co 7:9-10; Ef 2:10; Fp 2:12; 1 Tm 3:5)

Não importa o que as pessoas façam, perdão deve ser o nosso padrão. (Mt 18:21; Lc 17:4)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… nós somos auto-suficientes e que não precisamos dos outros. (Ec 4:9-12; Hb 10:24-25; Mt 18:20; Hb 3:13; 1 Co 12:12-14)

… todas as comunidades cristãs serão famílias saudáveis (Gl 6:1-2; 1 Co 5:6; 1 Co 4:14)

… nós temos que odiar a nós mesmos e amar os outros. (Mc 12:31; Lc 5:16; Sl 127:2; Jr 29:11; 1 Jo 5:3)

… cristãos não devem seguir as regras e as leis da sociedade secular. (Rm 13:6-7; Pv 24:21; Dn 2:21)

… crianças tem um Espírito Santo “júnior” ou “mirim”. (Jl 2:28; Mt 18:3; Lc 1:41)

… não temos qualquer responsabilidade se companheiros cristãos pecam contra nós. (Mt 18:15-16; Mt 18:21; Rm 5:8)

… não exista um momento em que alguém opta por não fazer parte de uma comunidade saudável. (Co 5:5-6; 2 Tm 3:1-5; Ef 5:11; Rm 16:17-19; Tt 3:9-10; Mt 18:17)

A PALAVRA DE DEUS TRANSFORMA

O objetivo das Escrituras é nos trazer a um relacionamento com o Autor e nos transformar em Sua semelhança. (Sl 119:105; Mt 4:4; 2 Co 3:15-18; 2 Tm 3:15-17; Tg 1:22-25 )

Nós encontramos Deus na Palavra e fé é liberada em nossas vidas. À medida que nós estudamos as Escrituras, isso nos dá a capacidade de entender melhor quem Deus é, quem nós somos e como Ele quer que nós vivamos. (Sl 119:105; Mt 7:24-28; Jo 8:31-32; Jo 17:17; Rm 10:17; Rm 15:4; 1 Co 10:1-13; 1 Ts 2:13; Cl 3:15-17)

A Palavra de Deus é a fonte de autoridade infalível pela qual nós julgamos todos os “insights”, discernimentos e Apelações proféticas que recebemos. (Pv 30:5-6; Mt 22:29; Jo 8:31-32; Cl 1:6-9; 2 Ts 2:13-15; 2 Tm 3:15-17; 2 Pe 1:16-21)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

A Bíblia deve nos conduzir a um relacionamento sempre crescente com Jesus. (Jó 42:5; Jo 1:14; Jo 14:6)

É através do relacionamento e capacitação do Espírito Santo que podemos ter experiências e aplicar com mais precisão a Bíblia. (Jo 16:12-15; 2 Co 3:6)

Um cristão se torna vivo e deve ser transformado quando ele ouve e age no “agora” das palavras de Deus. (Rm 10:17; Hb 4:2; Mt 14:27-29; Is 55:11)

As promessas de Deus são sempre “sim e amém” para o crente em Cristo. (2 Co 1:20)

Quando nós declaramos as palavras de Deus, nós “liberamos Ele” para transformar o mundo. (Pv 18:21; Tg 3:4; Jl 3:10; Is 54:1; Mc 4:39; At 3:6-7)

Ler a Palavra em uma comunidade cheia do Espírito Santo ajuda a proteger as pessoas de engano. (Jo 16:12-15; 1 Co 2:9-11; Jo 4:1; Mt 7:15; 1 Co 12:10)

Nó precisamos nos manter ouvindo e fazendo perguntas a Deus porque Ele pode Apelar mais verdades com o passar do tempo. (Gn 22; Gn 18:16-33; Tg 1:5; Mt 7:7-12)

Nós interpretamos a Bíblia através da pessoa de Jesus. (Jo 1:14; Jo 14:9; Cl 2:9; Hb 1:3)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… Deus está “preso dentro de um caixinha” por conta da nossa compreensão atual de Sua Palavra. (Jz 16; Jo 8:1-11; Mt 12:1-13)

… encontrar a Deus é mais importante do que ler, estudar e aplicar a Palavra. (2 Tm 2:15; Rm 6:13; Pv 22:29)

… é impossível para um cristão ser enganado. (Gl 3:1; 1 Jo 4:1)

… nós não devemos julgar ou questionar uma verdade bíblica. (1 Jo 4:1; Mt 7:15-20)

… o diabo não pode usar as Escrituras para enganar um cristão. (Tg 2:19; Mt 4:1-11)

… cada palavra na Bíblia deve ser aplicada diretamente. (2 Co 3:6; Mt 5:30)

DEUS CONTINUA FALANDO

Jesus no convida a um relacionamento. Ele disse que Suas ovelhas conhecem a Sua voz e também que o Espírito Santo nos ensinaria todas as coisas. É natural para Deus se comunicar com Sua família e é importante para nós ouvir, olhar e aprender a linguagem e os caminhos Dele. (Is 50:4-5; Mt 4:4; Jo 10:26-28, 14:25, 16:13; At 2:17; 1 Jo 2:27; Nm 11:29)

As Escrituras nos dizem para buscar e desejar com zelo e dedicação o dom de profecia, que é falar como um representante de Deus para fortalecer, encorajar e confortar as pessoas. Portanto, nós desejamos falar o que o Pai está falando no sentido de desenvolver a identidade delas e trazer para fora os propósitos e tesouros que Ele colocou e tem colocado nelas. (I Tm 4:14-16; I Co 14:1-4, 24-25; At 13:1-3; Ef 2:10; 1 Jo 4:17)

Profecia não é uma “comunicação em mão única ou em um único sentido”; envolve duas pessoas ouvindo a Deus: uma que entregou a palavra e a outra que a recebeu. Assim, com a ajuda do Espírito Santo, Escrituras e a comunidade de crentes da qual fazemos parte e que damos permissão para falar em nossas vidas, nós julgamos o espírito e a precisão das palavras que entregamos e recebemos, retendo o que é bom e deixando para lá o que não é. (Ts 5:19-22; 1 Co 14:29; At 21:10-22:30 (profecia de Ágabo que não estava correta); At 27:10, 22-24 (a profecia de Paulo corrigida por um Anjo).

A Bíblia é a Apelação fidedigna, acima de qualquer outra, e nada será acrescentado a ela. Nenhuma profecia tida como correta poderá contradizer a Bíblia (desde que esta seja interpretada corretamente) ou ser considerada igual ou equivalente a ela. (Mt 22:29; Jo 8:31-32; Gl 1:6-9; 2 Ts 2:13-15; 2 Tm 3:16-17; 2 Pe 1:16-21; Mt 7:15-20)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Deus é perfeito, mas Ele escolheu ter parceria com pessoas imperfeitas para edificar o Reino. Assim como todos os dons espirituais e habilidades ministeriais (como amor, generosidade, pregação e etc.), nós simplesmente não operamos em nenhum deles perfeitamente. Este é o motivo pelo qual nós algumas vezes cometemos erros e precisamos julgar as palavras. (1 Co 13:12; At 15:28)

Os dons não são dados plenamente desenvolvidos. Nós podemos nos tornar melhores no mover de nossos dons à medida que praticamos e treinamos. (1 Tm 4:14-15)

Deus frequentemente fala conosco na linguagem de nossa própria mente, nossa própria alma e nosso próprio espírito. Por isso, a voz do Senhor frequentemente soa como nós (só que geralmente é mais esperta, inteligente e sábia do que nós!). Nós precisamos praticar discernir a voz Dele com confiança. Ser preciso aumenta nossa confiança. (At 10:9-16; 1 Co 2:12-16)

No Antigo Testamento, o profeta era julgado, mas no Novo Testamento, a palavra profética que é julgada. A expectativa do Antigo Testamento de que toda profecia deveria ser 100% precisa e correta foi modificada no Novo Testamento. É ordenado à Igreja do Novo Testamento provar todas as coisas e reter o que é bom. Os líderes julgam a profecia ao invés de julgar os profetas. Diferente do Antigo Testamento, em que o Espírito vinha somente sobre o profeta, cada um na Igreja possui o Espírito Santo, por isso a palavra pode ser discernida e nós podemos dizer “Você se equivocou” ao invés de dizer “Você é um falso profeta”. (Dt 18:18-22; 1 Co 14:29; 1 Co 13:2; 1 Jo 4:1)

No Novo Testamento, falsos profetas são aqueles que estão, geralmente, ensinando doutrina errada, fazendo sinais e maravilhas com o propósito de enganar e produzir maus frutos, e não aqueles que por acaso uma vez ou outra erram ou dão palavras imprecisas de edificação, encorajamento e conforto. (2 Pe 2:1-3; Mt 24:24)

Profecia deve sempre ser liberada com humildade e amor. Não deve ser nunca para auto-promoção ou ambição egoísta. Se nós entregamos uma palavra errada ou fazemos isso com um Coação errado, devemos reconhecer o nosso erro e, em humildade, “limpar” o que fizemos de errado. (Fp 2:3-4; I Co 13:1-2; Mt 7:21-23)

Profecia é um processo de três partes: Apelação, interpretação e aplicação. Da mesma forma como acontece com as Escrituras, profecia pode ser mal-entendida, mal interpretada ou mal aplicada. (At 10:9-16; At 15:28, At 21:10-22:30; At 27:10, 22-24)

Nós não nos esforçamos ao extremo para fazer as palavras proféticas se cumprirem, mas às vezes somos convidados por Deus para colaborar com Ele para ver as palavras se cumprindo. (Gn 21:2; 2 Rs 5:10; Lc 17:11-14; At 10 (Cornélio e Pedro colaborando) At 9:1-19 (Saul e Ananias colaborando)

Há, muitas vezes, um mistério e um tempo em relação as profecias. Algumas palavras proféticas estão completamente “fora da nossa caixinha”, em uma esfera de mistério; temos que guardá-las para um tempo mais no futuro e esperar que se cumpram para podermos entender. Algumas profecias só são entendidas depois que elas se cumprem. (Jo 16:12; Lc 24:44,45; Jo 13:7)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… nós profetizamos perfeitamente. (1 Co 14:29; 1 Ts 5:19-22)

… uma pessoa sozinha possa plenamente saber ou ela sozinha plenamente ter a mente de Cristo. (1 Co 2:16)

… “vale tudo” e que nós não somos responsáveis pelas palavras que entregamos e que não importa se elas são corretas ou não. (Mt 12:36, 37)

… a única maneira de conhecer o Coação e a vontade de Deus é através de uma palavra profética vinda de alguém.

… as decisões mais importantes de nossas vidas devem ser feitas exclusivamente com base em uma palavra profética desprovida de outras fontes de liderança de Deus e comunicação como oração, Escrituras, líderes, sabedoria, desejos pessoais, relacionamentos de aliança e etc. Na verdade, fazer decisões exclusivamente com base em uma palavra profética é sinal de imaturidade. (1 Tm 4:11-16)

… nós temos que checar com Deus a respeito de tudo em nossas vidas como que tipo de roupas vestir ou que rua devemos andar (embora Deus às vezes nos apresente ideias sobre estas coisas que nos guiam à aventuras se nós estivermos ouvindo a Ele!). É claro que Deus irá te alertar, pelo cuidado que Ele tem com os filhos Dele, de um perigo iminente, como “não ande nessa rua hoje, pois lhe está sendo dado um livramento!”. A ênfase aqui é que existem decisões que nós temos que fazer e não devemos ficar esperando “uma voz bradar do céu” para poder tomar uma decisão muitas vezes simples como que tipo de roupa vestir ou em que rua eu devo andar ou virar. Deus gosta de ser parceiro nosso parceiro em tudo, mas não devemos esperar que Ele faça por nós aquilo que já temos a habilidade de fazer!

… não há necessidade para nós de ter professores, mestres e pessoas para nos ensinar ou que não há necessidade de estudar as Escrituras. (Ef 4:11)

JESUS NOS CAPACITA PARA O MINISTÉRIO SOBRENATURAL

Jesus prometeu que sinais acompanhariam os crentes e que eles fariam obras ainda maiores do que Ele fez. (Mc 16:15-18; Jo 14:12-14; At 2:17-18)

Nós acreditamos que todos podem ser curados porque Jesus demonstrou que a vontade do Pai é curar todos os enfermos, doentes e endemoninhados. (Mt 4:23; Mt 9:35; Mt 12:15; Mt 14:14; Lc 9:11; At 10:38)

Nós devemos ao mundo um encontro com Deus e um convite à salvação porque Jesus nos enviou ao mundo da mesma maneira como Ele foi enviado pelo Pai. (Lc 10:1-23; Mt 5:14; Jo 20:21; Jo 17:18; Mt 28:18-19)

Nada é impossível com Deus, portanto nenhuma pessoa ou situação está além da capacidade e habilidade de Deus de trazer completa restauração. (Lc 1:34-37; Mt 17:20; Mc 10:25-27; 1 Co 6:9-11; Sl 103)

Fé requer de nós dar passos além do medo e nos assumir riscos, enquanto humildemente honramos o ambiente no qual nós estamos ministrando. (Mt 9:28-29; Mt 17:2; Mt 14:24-33; At 3:1-10; Hb 11:1; Tg 2:14-18)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

A cruz de Jesus não fez simplesmente as pessoas naturais se tornarem boas; o que ela fez foi criar uma nova raça de seres no planeta que são naturalmente sobrenaturais (Mc 16:17-18; 2 Co 5:17)

Amar as pessoas é sobrenatural e nós devemos sempre operar a partir do amor quando nós assumimos riscos para liberar o Céu nas vidas das pessoas. (Mt 5:44; Jo 13:33-35; 1 Co 13, 16:14)

Nós caminhamos como filhos de Deus sendo sal e luz, Apelando a bondade do nosso Pai Celestial e chamando o povo ao arrependimento. (Mt 5:13-16; Jo 20:22; Rm 2:4, 8:19)

O Espírito Santo dá a cada crente o poder de ser uma testemunha ousada e corajosa, liberando o poder sobrenatural de Deus, mostrando milagres, sinais e maravilhas. (At 1:8; At 2:16-18; 1 Co 12, 14:1-3; Mt 10:8; Jo 20:21-23; At 4:31-35; At 8:26-40; 1 Co 4:20)

Nós naturalmente vivemos uma vida guiada pelo Espírito Santo, seguindo a voz, a liderança e a orientação da Presença de Deus à medida que liberamos o Céu na Terra. (Mt 4:4, 11:28; Jo 5:19, 10:27; Mc 5:21-34; At 10:9-16; Gl 4:16-18)

Quando nós nos deparamos com as obras das trevas, esta é uma oportunidade para o amor sobrenatural de Deus se mover poderosamente. (At 4; 1 Jo 3:8, 4:18; Mt 16:19)

A oração invade o impossível libera o poder do Céu e é por isso que devemos clamar por mais (Tg 5:16; 1 Ts 5:17; Mt 6:9-13)

Nós celebramos cada pequena vitória e exercemos mordomia do testemunho de Jesus que é o Espírito da profecia. (Tg 1:17; Mt 7:11; Ap 19:10)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… nós somos Jesus. (1 Co 6:19-20; Cl 1:27)

… nós estamos buscando um relacionamento com Deus apenas para que possamos realizar sinais e maravilhas. (Lc 10:17-20; Mc 7:21)

… pessoas são troféus e que milagres nos fazem mais importantes no Reino. (Mt 7:21-23, 18:1-5; 1 Co 13)

… nós preferimos demonstrar milagres mais do que amar e servir as pessoas. (Pv 21:21; 1 Jo 4:20; 1 Co 13, 16:14)

… as pessoas têm que orar e jejuar muito ou fazer muito qualquer outro tipo de disciplina espiritual para merecer ou conquistar a graça necessária para operar em sinais e maravilhas. (Gl 3:2-5; 1 Co 15:10)

… cada risco que assumimos quando ministramos irá com certeza gerar o resultado que estamos esperando. (At 16:16-24; Mt 14:22-33; Rm 8:28)

… os milagres cessaram com os 12 apóstolos e com Jesus quando Ele caminhou aqui nesta terra. (1 Co 12, 14:1,39; 1 Pe 4:7,10; 2 Tm 1:6-8)

… nós não enfrentaremos resistência ao evangelho ou que não enfrentaremos experiências de perseguição. (At 4:3-22, 5:17-42; 2 Co 11:24-25)

O REINO DE DEUS ESTÁ AVANÇANDO

Nós temos um Deus Grande e o diabo é pequeno e derrotado! Sim, nós estamos em batalha, mas não temos dúvida de que, com Deus, somos mais do que vencedores. (1 Jo 4:4; Rm 8:31-39; Jo 12:31; 1 Jo 2:13; 1 Jo 5:4; At 4:23-31; Mc 5:1-11)

Nós acreditamos e vivemos a oração “Venha o teu Reino, seja feita a Sua vontade, assim na terra como no Céu”. Por isso, nós exercemos parceria com o Rei, tanto em formas naturais quanto sobrenaturais, para criar misericórdia, justiça e retidão até que Jesus venha. (Mt 6:9-10; Mt 10:42; Mt 25:40; Mt 10:7-8; Jo 14:12)

Todo crente está em um ministério em tempo integral, porque Deus está avançando o Seu Reino, não apenas construindo Sua Igreja. Nosso trabalho e esforço, seja pequeno ou grande, dentro ou fora da igreja, é sagrado e valioso para Deus. (Cl 3:23-24; Dn 6:3; Pv 22:29; Is 60:1-5; Mt 13:31-32)

À medida que o Reino avança, haverá resistência e conflito, mas nós esperamos que a cultura seja mudada conforme as pessoas venham à salvação e assumam seus lugares no plano de Deus para o mundo. (Jo 15:19-21; 2 Co 4:8-11; 2 Co 12:10; Lc 12:11-12; Jo 16:33; At 4:23-31)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Nós focamos no bom que Deus está fazendo no mundo e vivemos com esperança e alegria contagiantes. (Ef 1:17-19; Fp 4:8-9; Tg 1:16-18; At 13:52)

Nós oramos a partir da vitória de Jesus (não por vitória) e destruímos as obras do diabo no mundo. (Is 54:17; Ef 1:20-23; 1 Jo 4:4; Mt 11:11)

Nós reconhecemos que a presença de Deus está “agindo e atuando” em todos os lugares do mundo e nós exercemos parceria com Ele para que, então, as pessoas sejam salvas. (Gn 1:28; Mt 6:5; Mc 16:15; 2 Co 5:17-18; Lc 12:48)

Nós vamos em busca de respostas celestiais para problemas terrenos e nós assumimos riscos práticos (em fé) para ver essas respostas se manifestando em nosso mundo. (Mt 6:9-10; Dn 2; Gn 41:1-46; 1 Sam. 14:6; At 3:1-10; Mt 17:24-27; At 4:23-31)

Nós descobrimos nossos dons e nos tornamos excelentes em servir líderes nas áreas da sociedade que Deus nos colocou. Nós vivemos para dar cobertura a eles, dar suporte e ajudá-los a serem bem-sucedidos. (Dn 2; Gn 41:1-46)

Nós abençoamos e oramos pelas pessoas que nos perseguem à medida que buscamos trazer o Céu na terra. (Mt 5:43-45; Lc 6:27-28; Pv 25:21)

Nós transformamos o mundo fazendo declarações celestiais nos lugares em que vamos. (Pv 18:21; Pv 11:11; Tg 3:2-5; Mt 21:21-22; Jl 3:10; Ef 4:29; Mt 16:18-19)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… coisas ruins não estão acontecendo e que não irão acontecer no mundo. (Jo 16:33; Mt 13:20-21; Mt 7:24-27)

… o inimigo não tentará nos resistir e que não iremos experimentar oposição ou perseguição. (Rm 8:26-39; At 14:22-23; Fp 4:6-7)

… nós podemos mudar o mundo através da força e habilidade humana. (Zc 4:6; Jr 17:5-6; Mt 7:7-8)

… todos irão terminar fazendo parte da igreja.

… Deus não ama e não prospera líderes seculares na sociedade. (Mt 5:44-46; At 14:16-17)

… só porque nós servimos a um líder em nossa sociedade que ele irá se tornar automaticamente um cristão. (Dn 2; Gn 41:1-46)

… nós temos que estar no “topo da montanha da sociedade” para poder trazer a mudança do Reino. (Lc 13:21; Mt 13:32; Gn 41:1-46)

… não há um processo de crescimento ou influência antes do favor vir na vida de alguém. (Zc 4:10; Lc 2:52; 1 Sam. 2:26; Pv 3:3-5; Dn 2)

… nós iremos ver tudo aquilo que acreditamos, acontecendo em nossas vidas. (Hb 11:13)

LIVRE E RESPONSÁVEL

Cristo morreu para nos libertar da lei do pecado e da morte, do medo e da vergonha e nos estabelecer em liberdade para que, então, possamos viver e amar a Deus como filhos gloriosos de Deus. (2 Co 5:17; Rm 8:1-2, 19-21; Rm 6:4 and 14-22)

Liberdade é bem pessoal, mas não é centras somente em si mesmo. As Escrituras dizem que a nós foi dado liberdade para servir um ao outro em amor. (Gl 5:13-15; 1 Co 8:9-13; 1 Co 9:19; Rm 14 and 15)

Liberdade e responsabilidade não podem ser separadas. Nós experimentamos e vivenciamos liberdade quando nós somos capazes de controlar a nós mesmos. Portanto, nós cooperamos com o Espírito Santo à medida que produzimos o fruto do domínio-próprio em nós. (Gl 5:16-25; Rm 8:12-13; 2 Pe 1:5-9)

Nós nos empenhamos em garantir que o “tamanho” do nosso domínio-próprio continua a crescer e permanecer maior do que o tamanho de nossa influência. (Ef 4:1; Cl 1:10; 1 Co 6:18-20)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Nossa liberdade veio através de um alto preço. Por isso, nós protegemos, exercemos mordomia e estendemos sacrificialmente a liberdade a outros. (1 Co 6:20; Jo 13:34-35; Rm 12:1)

Nós somos livres para sonhar com Deus sobre expandir Seu Reino na terra. (Mt 6:10; Rm 14:17; 1 Co 2:26)

Nós somos livres em nossos Coações e somos motivados internamente pelo Espírito Santo e por nossos valores fundamentais (Fp 2:13; Sl 37:4; Rm 8:14; Pv 4:23)

Nós entendemos as nossas necessidades e somos honestos em expressá-las. Nós criamos planos para ter nossas necessidades supridas de maneiras saudáveis e nos abstemos de satisfazer nossos desejos de forma não saudável ou prejudicial. (Co 1:4; At 2:44-46; 2 Co 8:2-5; 1 Co 10:13; Rm 12:1-2)

Em nossa liberdade, nós assumimos riscos em como amar as pessoas de maneira prática e sobrenatural. Se e quando nós cometemos, nós temos o poder suficiente para limpar o que fizemos de errado. (At 2:42-47; Lc 19:1-10)

Nós vivemos “conscientes da” e “recorremos à” força do Espírito Santo quando circunstâncias testam nosso caráter e fé. (Gal 5:21-22; Rm 8:5)

Nós cultivamos e nos sobressaímos em nossos dons e pontos fortes únicos e, por conta disso, o Reino de Deus pode se expandir na terra. (1 Co 12 e 14, Dn 1; Lc 2:52)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… tudo o que as pessoas precisam é apenas de Jesus para viverem em liberdade e responsabilidade, descartando assim a necessidade de família ou liderança. (Ef 5:21; At 2:42)

… as pessoas podem fazer o que elas quiserem na sociedade e que isso não importa. (Rm 14; Gl 6:1; Tt 3:10-11)

… culturas de controle, medo e manipulação geram pessoas capacitadas e cheias de poder. (2 Tm 1:6-8; Lc 10:1-23; Jo 5:44)

… nós somos conduzidos por nossos sentimentos e emoções. (Rm 8:12-14; Rm 8:6; 1 Co 9:26-27)

… nós sempre iremos fazer o que queremos e que não temos que servir aos outros ou que faremos coisas de qualquer maneira. (Rm 14; 1 Co 10:23)

… não há processo algum para ver nossos sonhos sendo cumpridos. (Tg 1:1-2, 12; Rm 5:1-5)

HONRA AFIRMA VALOR

Honra reconhece e afirma o quão valiosas e poderosas as pessoas são porque elas são feitas conforme à imagem de Deus e Jesus morreu para restaurá-las ao relacionamento. Nós somos significantes. (Gn 1:26; Ef 4:22-24; Rm 12:10)

O nível de valor que nós temos uns pelos outros influencia a medida de impacto que temos uns sobre os outros. (Mt 10:41; Jo 13:35; Fp 2:1-4)

Nós devemos trazer para fora o que há de melhor nas pessoas e celebrá-las, apesar de nossas diferenças, respondendo a elas com base em quem elas são e na identidade dadas a elas por Deus, não simplesmente de acordo com o comportamento delas ou auto-definição. (1 Co 12:18; 24-26, 14:3; Fp 4:8)

A honra deve ser demonstrada através de respeito consistente em palavra e ação para aqueles que lideramos, seguimos, amamos e daqueles de quem discordamos. A honra evita controlar outros, mas não evita confrontar, estabelecer limites e disciplinar quando necessário. (1 Co 13:1-7; 1 Co 4:13; 2 Tm 2:11-16)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Nós devemos amar as pessoas de quem não podemos receber coisa alguma. (Rm 5:8; Mt 25:40, 45; Mt 10:42; Pv 14:31)

Nós continuamente pedimos a Deus para nos mostrar como Ele vê as pessoas que estão em nossas vidas e procuramos, assim, encorajá-las com as verdade que Ele nos diz a respeito delas. (Mt 16:17-19; 1 Co 14:3-5)

Nós sabemos que há níveis de honra e responsabilidade por causa das posições das pessoas no Copo, unção ou favor de Deus. Por isso, à medida que nós honramos uns aos outros, nós recebemos “graça”, força e vigor de cada um. (1 Tm 5:17; Ef 4:7-14; I Co 12:18, 24-26; Mt10:40-42)

Nós devemos ver onde as pessoas se encaixam no Copo de Cristo e celebrar suas individualidades. (1 Co 12; Rm 12:4; Ef 4:7)

Nós devemos amar os nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem. (Lc 23:34; Mt 5:43-48; Lc 9:54-56)

Nós honramos as gerações futuras e desejamos vê-las prosperando e nos superando. (Dt 31:23; 2 Rs 2; 1 Cr 28:20; Jo 14:12)

Mais do que julgar as pessoas que estão fora da igreja, nós queremos amá-las e serví-las no Reino. (Mt 10:8; Mc 2:13-17; Rm 2:4; Hb 13:17)

Nós trabalhamos com irmãos e irmãs em Cristo quando pecam para encontrar “a raiz do problema” por trás do comportamento deles para, então, restaurá-los. (Gl 6:1-2; 1 Co 4:21; Mt 18:15; Lc 17:3-4)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… nós nunca confrontamos as pessoas ou a chamamos para viver a partir de suas verdadeiras identidades. (1 Co 4:14; Lc 9:54-56; 2 Co 7:1)

… todos são iguais e que nós operamos a partir de uma “mesa redonda” onde todos tem o mesmo favor. (1 Co 12:18, 24-26; Mt 10:41)

… honrar outros significará que nossas vidas não serão abençoadas. (Mt 5:1-12; Mt 10:41; Mc 10:28-30)

… os líderes têm a permissão de ser destrutivos, manipuladores e controladores. (Mt 10:25-26; 1 Pe 5:3; 1 Co 3:12-13)

… nós honramos apenas em certos ambientes, mas em outros não. (Mt 19:13-15; Jo 13:34-35; Jo 4:1-42)

… nós sempre temos que concordar com todo mundo e que não podemos ter opiniões diferentes. (Ef 4:1-4; At 18:24-26)

… as pessoas não escolheram se comportar de uma maneira diferente quando estiverem longe de nós e de nossa comunhão. (Tit. 3:9-11; Mt 18:15-18; 2 Jo 1:10; 1 Co 5:4-6, 1 Ts 5:12-15)

ESPERANÇA EM UMA IGREJA GLORIOSA

Nós cremos que a Igreja irá cumprir com sucesso a grande comissão de Cristo de fazer discípulos de todas as nações, o que significa que as nações serão transformadas. (Mt 28:18-20; At 1:8; 1 Jo 5:14-15; Is 54:3-5; Is 60)

Nós devemos trabalhar para deixar um legado e uma herança para gerações futuras. Nós aguardamos com grande expectativa pelo retorno do Senhor, ainda que não saibamos quando Ele virá. Por isso, nós temos uma visão a longo prazo. (Pv 13.22; Is 9:6-7; Is 2:4; Is 11:5-7; Mt 25:14-29; Ap 12:11)

Nós não estamos buscando escapar do mundo, mas vera vitória de Cristo manifestada em indivíduos e nações, mesmo diante de resistência e conflito. (Lc 10:2-3; Mt 28:18-19; Fp 3:12-14; Hb 12:1-3; Ap 11:15)

A Igreja é chamada para superar e vencer em todo tempo: em tempos de sofrimento e perseguição e em tempo de prosperidade e grande influência. (Jo 16:33; Sl 188:6; Is 41:10; 1 Jo 4:4; Is 54:17; Sl 34:19)

O QUE ISSO TUDO QUER DIZER?

Nós nos recusamos a exercer parceria com um evangelho onde é dado mais poder ao diabo e um evangelho onde nós não temos responsabilidade ou habilidade sobrenatural para trazer mudança. (1 Jo 5:14-15; Mt 10:8; Mt 16:19; Mt 18:18-19; Jo 20:23)

Nós relembramos os testemunhos do que Deus está fazendo e “celebramos Ele” para fazer de novo o que Ele fez! (Gn 22:14; Js 4:1-8; Jz 6:24; Ap 19:10; Ap 12:11; Sl 119:2, 111)

Nós servimos e encorajamos pais e mães e construímos culturas de honra e que enchem as pessoas de poder. (At 2:42-27; Rm 12:10; Jo 13:34; Lc 10:1-21)

Nós equipamos outros a viverem naturalmente um estilo de vida sobrenatural e a mudarem seus mundos. (Lc 9:1-6; Lc 10:1-21)

Nós profetizamos, focamos e edificamos, e não destruímos. (Lc 9:53-55; 1 Co 14:3; Rm 14:19)

Nós devemos olhar para cada obstáculo como uma oportunidade para Cristo trazer a resposta. (Sl 34:19; Rm 8:28-29; Is 54:17; Dt 31:6)

Nós devemos buscar a Deus com mesma quantidade de paixão, tanto na prosperidade e na abundância quanto na escassez e na necessidade. (Pv 8:17; Mt 6:33; Fp 3:13-14)

Nós queremos ter a certeza de que nossa confiança está sempre em Deus e não na prosperidade e no poder de reis (Pv 23:1-3; Sl 141:4; Mt 6:24-26)

NÓS NÃO ESTAMOS DIZENDO QUE...

… Deus é mais apaixonado em discipular a Igreja do que discipular as nações. (Dn 2; Mt 18:19; At 8:26-40; Mc 16:15; Ap 11:15)

… Deus não está já trabalhando em lugares de trevas e nações do mundo. (Sl 139:7-12; At 8:26-40; Dn 5:1-30)

… nossa expressão do Reino permanece a mesma e que não expande em novas áreas de influência no mundo. (Is 9:6-7; Ef 2:10; Hc 2:14; Ef 3:8-20)

… nós “brilhamos” somente para as gerações que nós estamos vendo ao nosso redor e não para as gerações que nós nunca encontramos. (Pv 13:22; Mt 25:14-29; Mt 5:14-16; Jo 15:16)

… nós “desistimos do mundo” e que agora estamos apenas esperando ir para o Céu. (Jo 3:16; Mt 5:14-16; Mt 5:43-45; Mt 5:13)

… nós precisamos nos tornar “do mundo” para influenciá-lo. (Jo 15:19; Fp 2:15; Ap 3:15-16; Mc 2:13-17; Jo 8:1-11)

… todos no mundo irão nos amar e que não haverá perseguição. (Mt 10:22; Jo 15:18-27; Sl 34:19)

… nós não teremos mais trabalho algum para fazer, mesmo quando uma nação inteira for salva. (Is 60; Is 9:7; Is 2:4)

Valores Relacionais

Procuramos dar ênfase a estes valores na Comunidade do Reino. Eles são bem compreendidos dentro do contexto da nossa Declaração de Fé. Valores inerentes e comuns à fé cristã como o amor, a salvação, a pureza, a obediência e a fé são tido como já aceitos e assumidos e, portanto, não são tratados em pormenor aqui nesta lista de valores.

Apesar de honrar e apreciar os valores fundamentais de outros no Corpo de Cristo, estes valores expressos aqui são a ênfase que Deus tem dado à nós do Ministério Comunidade do Reino para fazer avançar o Reino de Deus.

Prioridade RelacionalAmor InegociávelRelacionamento de Transparência e HonestidadeAcreditar no MelhorSempre Declarar Seu Compromisso e ComprometimentoVerdade Envolvida em Amor, Precedida por GraçaCaráter antes do DomDê e lhe será DadoMordomia, e não Direito de PropriedadeValorizar igualmente o local, o regional e o global Valorizar uma Visão Comum de Reino Valorizar uma Prestação Mútua de Contas Troca de Vida de Forma Estratégica
PRIORIDADE RELACIONAL
Nós colocamos relacionamentos acima de funções, cargos e títulos ministeriais e/ou eclesiásticos. Deus tem nos chamado para amar uns aos outros, para ser uma comunidade e para ser como uma família (não como mais uma denominação), e nós queremos priorizar o relacionamento, pois acreditamos que o Governo do Céu tem tudo a ver com relacionamentos e família!
AMOR INEGOCIÁVEL
Amor Inegociável é ser a melhor expressão de Cristo para outro ser humano. Colocando amor do início ao fim em cada situação nos mantém permanentemente na Presença de Deus. Amor Inegociável pode curar e selar cada problema que possa ocorrer em qualquer relacionamento.
RELACIONAMENTO DE TRANSPARÊNCIA E HONESTIDADE
Efésios 4:25 diz “Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo”. Devemos falar a verdade uns aos outros, pois somos parte de um mesmo corpo. Relacionamentos de transparência e honestidade nos permitem tirar fora a máscara e a imagem que nós muitas vezes inconscientemente apresentamos para o mundo. Dessa forma, podemos viver verdadeiramente em uma liberdade consciente e em alegria diante das pessoas e diante de Deus. Podemos nos sentir realmente aceitos pelo Amado, aceitos no corpo de Cristo e aceitos por nós mesmos.
ACREDITAR NO MELHOR
É impossível crescer em relacionamentos quando vivemos em uma atmosfera de desaprovação e/ou pessimismo. Acreditar no melhor sobre as pessoas não significa ignorar suas falhas, mas reconhecer que todos querem mudar e se tornar como Jesus. Nós somos sempre uma obra em progresso e, portanto, merecedores de misericórdia, graça e amor. Sempre que vemos Cristo um no outro, Ele se faz presente!
SEMPRE DECLARAR SEU COMPROMISSO E COMPROMETIMENTO
Declarando seu compromisso com os outros é a melhor maneira de entender e receber o compromisso de Deus para você. As Escrituras são a declaração do compromisso e comprometimento de Deus com a humanidade. O coração Dele está contido em Sua palavra para nós. À semelhança do nosso Criador, é importante declararmos nosso compromisso e comprometimento para Deus e para o próximo. Quando você declara seu compromisso e comprometimento, seu coração segue seu envolvimento.
VERDADE ENVOLVIDA EM AMOR, PRECEDIDA POR GRAÇA
Verdade não significa somente estar certo, mas também fazer o certo. Verdade dada sem compaixão e amor pode destruir o mundo de alguém. Esta é a sua oportunidade de ganhar o coração de alguém com um grande amor em Cristo. Quando aceitação e verdade são combinadas com amor e bondade, as pessoas se tornam completas.
CARÁTER ANTES DO DOM
Não valorizar o caráter irá minimizar o seu dom. Quando seu progresso em caráter é visível, sua confiabilidade irá aumentar e sua unção irá se expandir.
DÊ E LHE SERÁ DADO
Se Deus puder passar algo através de você, Ele dará esse algo a você. Mas a chave está em primeiro dar, entregar, doar, para depois algo ser dado ou acrescentado a nós. No Reino, o primordial é ser em primeiro lugar um doador, e não meramente um "tomador".
MORDOMIA, E NÃO DIREITO DE PROPRIEDADE
Mordomia é a busca intencional de Deus para envolvê-Lo em tudo. O Espírito Santo governa sua vida com sua total cooperação. Mas é preciso entender que tudo o que Deus coloca em nossas mãos, tanto recursos quanto pessoas, é para que sejamos mordomos, e não donos.
VALORIZAR IGUALMENTE O LOCAL, O REGIONAL E O GLOBAL
Em outras palavras, seja o chamado para o seu lar, seja o chamado para o mercado de trabalho, seja o chamado para uma nação ou para as nações do mundo, nós valorizamos aquela missão de maneira igual. É tão importante derramar sua vida por aqueles que estão ao seu redor quanto ir para outros lugares e fazer isso!
VALORIZAR UMA VISÃO COMUM DE REINO
Isso não quer dizer que as pessoas não possam ter múltiplas visões ou visões diferentes. A Comunidade do Reino é um ministério onde você tem permissão para sonhar e ver seu sonho realizado. Mas mesmo assim, temos uma visão comum de Reino. Nós valorizamos ter visão juntos. É fácil andar junto se você tem o mesmo foco, é fácil andar junto se temos algumas coisas em comum. Nós valorizamos uma visão comum.
VALORIZAR UMA PRESTAÇÃO MÚTUA DE CONTAS
Acreditamos que a verdadeira prestação de contas tem a ver com sempre levar a pessoa a se alinhar com a verdadeira identidade dela, aquela que é declarada pelo Pai Celestial e pelo Céu. É você dizer pra alguém: “olha só, o que você está fazendo não condiz com quem você realmente é... você precisa se alinhar com sua verdadeira identidade!” A prestação de contas existe para sempre chamar alguém para um nível mais elevado e levá-lo a entender que precisa estar alinhado com aquilo que Deus diz quem ele é. Não é sobre tentar controlar alguém, mas a capacitar, encorajar e liberar alguém para que possa ser tudo aquilo que Deus o criou para ser. Nem tampouco é sobre dizer o quanto alguém está errado, mas sim levar ele a entender o que está faltando. Se, por exemplo, uma pessoa está manipulando, é porque está lhe faltando amor. Não é preciso dizer: “ei, você é um manipulador!” O que deve ser feito é amar e levar essa pessoa a viver em amor, pois se ela manipula, é para conseguir ser amada. Entendemos que prestação de contas não diz respeito a somente apontar erros, mas sim a edificar vidas, através de levá-las a se voltar para viverem alinhadas com suas verdadeiras identidades. E acreditamos que essa prestação de contas deve ser feita de maneira mútua, onde eu presto contas para o meu irmão e meu irmão presta contas a mim e juntos crescemos como parceiros no Reino.
TROCA DE VIDA DE FORMA ESTRATÉGICA
Valorizamos o compartilhar mútuo da vida. Eu posso acrescentar algo na vida do meu irmão e influenciá-lo para o bem, como também posso aprender com ele, ter algo da vida dele acrescentado na minha, além de poder também ser influenciado para o bem a partir dele. Não somos detentores de todo o saber. Na vida, ora ensinamos, ora aprendemos.
Troca estratégica de vida não é somente o que fazemos nas nações, mas também o que fazemos em nossa casa, onde estamos vivendo. E é algo que precisamos fazer melhor. Se nos encontramos não tendo troca de vida de forma estratégica com nossa família, ou em nosso trabalho, ou no departamento de crianças, ministrando às crianças, sem perceber que elas têm mais a ensinar a nós sobre o Reino do que nós temos a ensinar a elas, a primeira coisa que precisamos fazer é nos arrepender. E arrependimento não significa apenas dizer “me perdoe”, mas também abraçar uma nova mentalidade. E uma das coisas mais importantes a se abraçar é a realidade de que Cristo valoriza todo mundo. E se eu acredito que Ele vive em mim, então o mínimo que eu posso fazer é valorizar todo mundo também e perceber que outras pessoas podem ser fonte de recursos e de vida para mim. Basta eu saber valorizá-las e honrá-las.