Como você tem enxergado a vida?

Eu costumo dizer que nós enxergamos Deus, a si mesmo, o próximo, o mundo e a vida de uma maneira geral através de "lentes". É através delas que nós interpretamos a vida. Nossas lentes são moldadas com base na experiência que adquirimos na vida, no nosso sistema de crenças e de valores, e com base no nosso jeito de ser e de crer. O fato é quando quando comunicamos ou quando recebemos algo, nossas lentes adicionam uma certa "cor" àquilo que estamos comunicando, recebendo ou fazendo.

Em nosso dia-a-dia, precisamos nos certificar como estão as nossas lentes. Quando liberamos palavras proféticas, quando ministramos, quando oramos e intercedemos, ou quando interagimos com as pessoas ou com Deus, como as nossas lentes acrescentam uma certa "cor" a tudo isso, precisamos saber se essa "cor" está sendo ou não algo bom. Precisamos saber se nossas lentes estão influenciando tudo isso de maneira positiva ou negativa.  Ao nos movermos ou ministrarmos ou interagirmos, temos que nos certificar de que nossas lentes não estão danificadas, senão teremos uma visão distorcida da realidade das coisas.

Nossas lentes são, em grande parte, são definidas a partir do que algumas pessoas definem como "valores essenciais". Gosto da definição que Kris Vallotton fala do que seriam esses valores essenciais: "os valores essenciais são como os instrumentos de um avião: eles ajudam a nos conduzir nos assuntos da nossa vida e ministério".

Jesus disse certa vez: "Vede, pois, como ouvis" (Lucas 8:18 - grifo do autor).  Normalmente, nós questionamos aquilo que ouvimos, mas raramente questionamos como ouvimos. E é muito importante termos o hábito de questionarmos como ouvimos, o que se aplica também a questionar como vemos, como estão as nossas lentes, porque isso afeta diretamente como enxergamos Deus, o próximo, a nós mesmos e a vida. E vai determinar como será a nossa interação também com estes. Nossas lentes podem ser um bom ou um mal tradutor da vida.

Gostaria de compartilhar aqui agora algumas coisas com base em ensinos e mensagens de Kris Vallotton e Bill Johnson relacionados a este assunto de lentes e valores essenciais.

A seguir, você pode ver alguns exemplos do que acontece quando alguém possui suas lentes danificadas, arranhadas, sujas ou embaçadas e está, por conta disso, provavelmente enxergando as coisas de forma distorcida:

  • Você entrega palavras proféticas que são, na maioria das vezes, julgadoras e condenatórias. Você sente uma certa "satisfação" dentro do seu íntimo diante de palavras julgadoras e condenatórias que estão sendo liberadas, porque isso satisfaz um certo senso de "justiça" que há dentro de você;
  • Você encara os desastres naturais como a maneira de Deus punir as pessoas por seus pecados;
  • Você atribui as doenças, principalmente aquelas como a AIDS, a um julgamento de Deus sobre as pessoas e os pecados que elas tem praticado;
  • Você procura frequentemente o que está errado no mundo, ao invés de buscar o que está certo ou o que está faltando;
  • Você tem um relacionamento com Deus do tipo “Senhor-escravo”, onde Ele é o senhor e você age meramente seu escravo, ao invés de um relacionamento "Pai-filho" ou "Senhor-amigo";
  • Você usa o mandato dos profetas do Antigo Testamento (de profetizar juízo como punição pelo pecado) como modelo para o seu próprio ministério;
  • Você tem dificuldades em acreditar nas pessoas ou em capacitá-las e desenvolvê-las;
  • Você sente que está em uma guerra constante contra o diabo, na qual você é incapaz de vencer;
  • Para você, a vida é um campo de batalha, e as pessoas são apenas peões em um jogo de xadrez maligno;
  • Para você, as igrejas são organizações que pretendem controlar as pessoas e impedir o ministério delas. Isso o torna altamente sarcástico, o que faz você se recusar a se submeter à autoridade de qualquer um. O seu lema é “o Senhor é o meu pastor” e, por causa disso, acredita que só Ele é o seu Senhor e que você não precisa seguir homem algum;
  • Você está convencido de que os governos, as empresas e as instituições organizadas foram infiltradas pelo mal; eles são corruptos e não se pode confiar neles de maneira alguma;
  • Você costuma se identificar mais com as histórias de Jesus virando as mesas no Templo e repreendendo fariseus. Afinal de contas, você acredita que é preciso "falar a verdade" na cara e ser duro também;
  • A sua abordagem negativa da vida, em geral, faz você acreditar no fato de que as pessoas e organizações rejeitam você, advertem outros contra você e costumam te “perseguir”. Você tem um senso constante de que as pessoas estão te perseguindo ou se levantando contra você.

Estes são alguns exemplos que diagnosticam alguém que possui suas lentes danificadas e que precisam torná-las mais claras para enxergar melhor a vida.

Quando as lentes de alguém estão claras, ela possui um coração puro, que vê mais facilmente a Deus - Mateus 5:8 - e cujo corpo está cheio de luz - Mateus 6:22,23. E eis o que acontece normalmente na vida de alguém com lentes claras:

  • Você decide sempre acreditar no melhor das pessoas, independente das falhas delas ou ainda mesmos que elas venham, em algum momento da vida, errar com você ou te decepcionar;
  • Você estender compaixão, misericórdia, graça e perdão a todos;
  • Você procura ressaltar o que está certo e o que está faltando no mundo, mais do que aquilo que está errado;
  • Você procura pelo tesouro que há na vida das pessoas e o que há de melhor nelas, mais do que erros e falhas;
  • Você vê a morte, a doença, os desastres e as calamidades como obras do diabo e não como atos de Deus;
  • Você se sente mais capacitado a ministrar vida, cura e consolo ao mundo.

Quando você percebe que suas lentes estão danificadas, arranhadas, sujas ou embaçadas, você provavelmente precisa receber ajuda de um conselheiro sábio e/ou de uma pessoa que tenha um grande dom de discernimento. Você deveria encontrar-se com alguém em busca de ajuda para descobrir qual é a raiz desses problemas que estão distorcendo suas perspectivas essenciais. Você pode fazer a si mesmo algumas perguntas para ajudar você a se certificar como estão as suas lentes, como por exemplo:

  1. Você teve uma experiência que lhe ensinou uma mentira, ou pelo menos que reforçou uma mentira em sua vida?
  2. Existem enganos ou decepções que permanecem no seu coração ou feridas abertas que precisam de cura?
  3. Você está zangado com Deus, consigo mesmo ou com outra pessoa?
  4. A igreja o decepcionou ou algum líder tentou matar os seus sonhos?
  5. Você cresceu em um lar disfuncional, que fez o abuso e a negligência exercerem um papel importante na sua maneira de ver o mundo?

Existem muitas outras perguntas que você talvez precise fazer a si mesmo, mas o objetivo é sondar a sua alma com a ajuda do Espírito Santo até chegar a uma visão clara da vida. Talvez você precise pedir o auxílio de um crente sábio que possa indicar os pontos cegos no seu coração e ajudá-lo em sua jornada para a cura total. Isso ajudará você a tirar as distorções que te impedem de enxergar as coisas com mais clareza.

Precisamos também tomar o cuidado para não correr o risco de, querendo ter as lentes totalmente claras, querer ver Deus somente como o “Grande Paizão”. Pode ser que ainda existam arranhões em suas lentes que possam estar impedindo você de ver o lado confrontador de Jesus. Você precisa perguntar a si mesmo se tudo o que você vê é Jesus beijando as testas de bebês e perdoando pecadores. Pergunte a si mesmo se você tem uma visão completa de todas as faces do Filho de Deus, inclusive a de Leão. Pergunte a si mesmo se é possível que você seja uma pessoa ingênua, com pouco discernimento. Você precisa saber se realmente você tem um relacionamento saudável com Deus, que você ama a si mesmo e aos outros e que a sua visão da vida é precisa e não distorcida. Ou se talvez você ainda não está muito consciente de si mesmo ou que não é muito sincero consigo mesmo. Ore e peça ao Espírito Santo para ajudá-lo a entender o que a sua contagem indica a seu respeito.

Acima de tudo, é preciso querer mudar. Não podemos ajudar alguém que não admite ter um problema, portanto, não pode haver mudança até que uma pessoa tenha uma revelação de que há algo errado dentro dela. Temos de nos incluir nisso; nunca mudaremos até que tenhamos uma revelação de que algo não está certo dentro de nós. Não importa se todos que nos cercam veem o problema. Até que “vejamos” o nosso problema, não poderemos mudar. É preciso escolher renovar a mente e mudar a forma como você enxerga a vida, até mesmo para ter uma vida melhor, para ter um melhor relacionamento com Deus, consigo mesmo e com o próximo, e para interagir melhor com o mundo para impactá-lo positivamente com a realidade do Reino de Deus.

Espero que essa mensagem tenha sido edificante para você e te encoraje a buscar sempre melhorar e ser aperfeiçoado no amor do Pai. Deus abençoe sua vida!

Sem comentários ainda.

Deixe um comentário