A Luta do Corpo contra o Próprio Corpo

Às vezes, pessoas podem sofrer das chamadas doenças autoimunes. Estas doenças ocorrem quando o sistema imunológico do corpo humano fica meio desorientado e acaba atacando o próprio corpo e os órgãos que deveriam proteger. Por algum motivo, o corpo começa a confundir coisas, como proteínas, com agentes invasores e passa a atacá-las, provocando uma luta do corpo contra o próprio corpo. Diabetes tipo 1, lúpus, artrite reumatoide, esclerose múltipla, vitiligo, psoríase, síndrome de Guillain-Barrè são alguns exemplos de doenças autoimunes. E vemos algo desse tipo acontecendo no Corpo de Cristo.

O apóstolo Paulo foi tremendamente inspirado ao comparar a Igreja com um corpo. Em vários sentidos, podemos entender o funcionamento do Corpo de Cristo com base na ilustração do corpo humano. E, infelizmente, à semelhança das doenças autoimunes resultantes da luta do corpo contra o próprio corpo, o Corpo de Cristo tem padecido de "doenças" por muitas vezes confundir as coisas.

É triste ver que hoje em dia existem cristãos que ao invés de estarem aplicando sua energia e esforços em prol do avanço do Reino, estão se desgastando e aplicando seu empenho na tentativa de se manterem vivos diante do ataque do Corpo contra o próprio Corpo. Infelizmente, hoje em dia, parte da Igreja não está perecendo por causa de ataques externos. O próprio Corpo, ou seja, os próprios cristãos tem se encarregado de querer "auto-imunizar" o Corpo. Como assim?

Simples. Ministérios falam mal de ministérios, igreja difama igreja, líderes atacam líderes. É curioso ver o seguinte: se hoje eu faço parte de uma denominação, sou o melhor membro do mundo e todos são amigos de todos. Amanhã, se Deus me chama para ocupar um outro lugar no Corpo (que não se limita a uma só denominação), parece que deixo de ser amigo para me tornar inimigo. Se Deus me chama, por exemplo, não para mudar de posição no Corpo, mas para dar início a um outro ministério ou "igreja" (me refiro a instituição/organização religiosa aqui) e, se por conta do chamado, a direção é que eu me desligue do rol de membros da instituição anterior, eu passo, por conta dessa decisão, a ser perseguido, difamado,tachado de rebelde, de herege... a instituição anterior não quer nem mais manter relações, mesmo quando há evidências de que não houve nenhuma rebelião ou motim com a saída da outra instituição. E na maioria dos casos, não precisa nem "mudar de igreja"... basta apenas discordar de algo que o ataque já começa. Inicia-se, então, um movimento descontrolado contra aquele irmão ou aquele ministério. Reuniões para falar mal, até campanhas de oração (que a meu ver estão mais para feitiçaria!) pra que algo aconteça com aquela pessoa para que ela saia até mesmo da cidade e deixe todos "em paz". Afinal, nenhum desses que praticam tais coisas querem perder "seu" território ou a oportunidade de aumentar seu rol de membros.

Um cenário como este não seria a evidência de uma divisão que está ocorrendo? E como um reino dividido pode subexistir?

É uma vergonha líderes falarem de unidade sendo que não andam em concordância. É triste falar em amor ao próximo sendo que na prática as ações não demonstram esse amor quando discordâncias ocorrem. Muitas acham que discordância e rebelião é a mesma coisa e tem medo de estar se rebelando quando discordam. Discordar é um direito de cada um. Somos seres pensantes. Deus nos fez assim. E em alguns pontos, podemos não pensar igual. É aí que ocorre a discordância. E podemos discordar de maneira honrosa, sem gerar desconexão no relacionamento. O que não pode ocorrer é, por causa da discordância, eu ser levado à rebelião. E o verdadeiro rebelde na Bíblia é aquele que quer controlar pessoas e situações. Discordância é diferente de rebelião.
Discordar é um direito. Mas isso não deveria destruir relacionamentos, e sim fortalecê-los. Em muitas igrejas você é amado quando você está em concordância em tudo. Mas quando há discordância ou quando você haje ou pensa diferente, as relações estão cortadas. Este tipo de amor que "manda embora" não é o amor incondicional, o amor ágape de Deus. Romanos 5:8 diz que Deus demonstrou Seu próprio amor por nós da seguinte maneira: enquanto ainda éramos pecadores, Cristo morreu por nós. Em outras palavras, mesmo quando nós ainda tínhamos princípios, jeito de viver e sistema de valores diferentes dos de Deus (quando éramos pecadores), quando ainda discordávamos Dele, quando ainda éramos inimigos Dele, Ele demonstrou o Seu amor através da ação sacrificial de entregar Seu filho por nós. Ele demonstrou amor e aceitação incondicionais.

Acredito que o amor incondicional, o amor ágape, o amor de Deus verdadeiro e genuíno, é a única vacina contra essa doença em que o Corpo ataca o próprio Corpo. Mas me refiro não ao amor conhecido meramente como uma informação, mas algo gerado a partir de uma experiência, de um encontro que tive com o amor de Deus a tal ponto de gerar em mim uma convicção do que esse amor realmente é que me leva a viver dentro da realidade do amor do Pai, um amor que se expressa em ações, não meramente em palavras. Um amor que me permite continuar amando e aceitando o meu próximo a ponto de me levar a um aprofundamento da construção de um bom relacionamento com ele, mesmo que o meu próximo erre comigo ou discorde em alguns pontos. Um amor que me permite ver meu irmão em Cristo não como um concorrente a quem tenho que derrubar, mas um agente do Reino com quem posso andar em parceria para juntos somarmos força para trabalhar em prol da edificação e avanço do Reino. O verdadeiro amor lança fora todo medo. Se não estou andando em amor, significa que o medo não está sendo lançado fora. Significa que estou andando em medo. E é o medo que me faz olhar para o meu próximo como um competidor, como alguém que eu preciso derrubar para não tomar o meu espaço, como alguém que eu preciso afastar do meu caminho porque no fundo me sinto ameaçado por ele. O medo destrói. O amor edifica.

Se tomarmos como verdade essas palavras, podemos sair da posição daqueles que lutam para resistir contra o ataque do próprio Corpo para sermos aqueles que se unem para juntos influenciar a terra com o governo do Céu.

Se você entendeu o conteúdo dessa mensagem, espero que em você seja derramado muito mais do amor de Deus e seja gerado em você transformação para que você possa transformar vidas. Deus o abençoe!

Victor Soares.

No Comments Yet.

Leave a comment